• Não acredito que votar seja anti ético. at 2018-10-15 02:51:26
    1. Tanto a legitimação psicossocial quanto o voto são antiéticos quando de seus efeitos se extrai condutas antiéticas derivadas de sua execução.
    1. Se o voto, cristalizado na pessoa que foi eleita, não agredisse a terceiros você estaria correto ao afirmar que não há agressão consentida, mas os programas de governo, ideias e projetos vencedores vão se impor contra quem não consentiu em aceitá-los. Isso, por si só, se revela invasivo e portanto antiético. Todos os participantes dessa cadeia de ações sucessivas têm sua influência sobre o efeito que será causado sobre as propriedades e liberdades das pessoas. Contradição seria dizer que das suas ações não se extrai efeitos. Embora os eleitores tenham uma noção muita estreita e limitada do resultado de suas ações não se pode negar a influência que exercem sobre a dinâmica de atuação do governo. É impossível excluir o nexo de causalidade entre o voto, a eleição e a execução dos programas de governo. O governo agirá em nome de seu eleitor e terá prazer em dizer que está exercendo sua influência pela força dos votos que recebeu no sufrágio.

    2. Se todos não votassem, o estado não se revestiria da aura de legitimidade que ele faz o eleitor acreditar que tem, se todos não fossem às urnas o estado com certeza continuaria a exercer sua influência, mas seria algo que ficaria à margem da vontade dos cidadãos. Não haveria o consentimento com a ideia de uma extorsão e roubo em larga escala, ao passo que os que votassem dariam ao estado o que ele quer. Ora, uma sociedade que aceita, corrobora e coaduna com o roubo não pode ser ética mesmo que os cidadãos que votaram em um determinado candidato aceitem que esses crimes sejam cometidos contra eles mesmos. O cidadão que vota não tem procuração ou poderes para solicitar via poder estatal a expropriação dos meus bens e dos demais que não concordaram com essa ideia. O voto apenas reforça o poder estatal contra o qual todo ser humano sensato deveria lutar e, por causar esses efeitos, deve ser considerado antiético.

  • Não acredito que votar seja anti ético. at 2018-10-15 02:49:48

    O estado poderia continuar existindo com seu voto ou sem o seu voto, o que importa é se você concorda ou não com o jogo, se você consente ou não com a coerção. Quem vota consente e se torna um agente de coerção pois seu voto terá efeito na escolha do representante que agirá contra as propriedades e liberdades das pessoas com sua autorização (o voto). A galera ainda não entendeu a isca que o estado lança para o gado ao permitir o sufrágio. O estado diz depois: "olha, a culpa não foi minha foi você quem votou em siclano". O próprio gado acredita nessa baboseira. O cidadão tinha a escolha de não fazê-lo ao votar nulo ou não votar, mas prefere legitimar o sistema escolhendo um candidato. Então nesse cenário, onde o voto teria poder de escolher os candidatos (e nós estávamos discutindo só isso), ele revela as mais bizarras intenções antiéticas do eleitorado. O estado, que é um organismo antiético, te força a ser antiético para que ele passe a sensação geral de que foi legitimado por sua escolha. Não importa se vai ser de esquerda, direita, conservador ou liberal, o importante é que o estado consiga fazer tudo de forma democrática, que consiga fazer o eleitor escolher alguém, não importa quem seja. É muito mais fácil para o estado se impor permitindo ao gado escolher alguém, do que se impor pela violência nua e crua. Então o voto democrático é uma estratégia de estado para pacificar as massas e quem vota corrobora com esse sistema que é antiético em sua essência e intenções. Se ninguém votar, aí sim o estado mostrará seus mais cruéis meios de opressão e coerção. Agirá sem sua principal ferramenta de legitimação que é o sufrágio e mostrará claramente o que realmente é.

  • Não acredito que votar seja anti ético. at 2018-10-15 02:48:47

    Claro que inicia. O voto foi criado para causar efeito. Se está inserido na esfera da causalidade ele terá um agente responsável, que é votante. Não só inicia, mas legitima e é conivente com a imposição do estado.

  • Não acredito que votar seja anti ético. at 2018-10-15 02:47:53

    Inicia, pois todo cidadão acredita estar exercendo sua influência pelo voto. Para a pessoa que acredita no voto, este é o meio de colocar no poder quem o representa e agirá em seu nome, representando seus anseios. O voto terá o efeito de colocar no poder quem causará determinados efeitos em sociedade, a saber, os planos de governo, a pauta e as ações que ele julga ser importantes, pautas essas que serão impostas coercitivamente contra as pessoas que foram vencidas na eleição. Votar não é como escolher em família o sabor de um pizza que você vai comer numa reunião, onde as pessoas não sofrem coerção, pois podem decidir não comer e nem pagar pela pizza. O sufrágio é diferente disso, pois o estado é um ente coercitivo, nesse sentido quem vota se utiliza do poder de coerção do estado para legitimar e executar, contra a vontade dos demais, uma série de ações e medidas. Ninguém vota sem buscar um determinado efeito em sociedade. Embora a maioria não perceba as implicações práticas do voto, é necessário observar todos os efeitos que ele pode causar.

  • Não acredito que votar seja anti ético. at 2018-10-15 02:31:12

    O indivíduo que quer impor seu candidato pelo voto age de maneira consciente de que pode impor sua vontade sobre a dos demais que perderam na votação. Fere automaticamente a liberdade e propriedade das pessoas quando concretizado. Se o voto causa o efeito de eleger quem vai interferir na vida e propriedade alheia, ele é antiético pelos efeitos que pode vir a causar. Todos votam acreditando estar interferindo.

  • O que você pensa da Detox Político at 2018-10-04 17:21:14

    Imagem já funciona com sucesso ! =)

  • O que você pensa da Detox Político at 2018-10-04 17:20:44

    Legal gostei, compartilhei até no twiiter atraves desse botão:
    O twiiter ficou assim:
    file

  • Os dados foram excluídos.
  • O Manifesto Diferentista at 2018-10-03 23:59:44

    Responder um comentário